Beetroot Seed Cake | Bolo de Beterraba e Sementes


Adoro usar a beterraba em bolos e doces. Para além de ser um legume carregado de muitas propriedades benéficas para a saúde, pode ser usada de variadas formas. E nos bolos confere uma textura fofa e deliciosa, que se sente e derrete na boca. Desde que experimentei o Bolo de Chocolate e Beterraba que fiquei fã. Desde então, todos os bolos que levam beterraba me despertam a atenção. 

E este não é excepção. É mais um bolo adaptado do Nigel Slater, mas desta vez, numa versão mais saudável e com sementes. Estava na minha "To Do List" há já algum tempo, desde que o vi no programa Nigel Slater's Simple Suppers, no canal 24 Kitchen. É um bolo simples, mas carregado de sabor e numa versão "menos pecaminosa", uma vez que a manteiga é substituída por óleo de girassol e o açúcar é mascavado, sendo muito mais saudável que o refinado. Um bolo que quase se derrete ao cortar e que é uma explosão de sabor a cada garfada.

A Rute, que é uma querida, autora do Cozinha Fresh, criou recentemente no seu blog a rúbrica "Convidei o Blog [...]" e sendo ela admiradora do Sweet Gula, teve a gentileza de me convidar para fazer o guest post deste mês. E eu não poderia recusar este convite que para mim foi uma grande honra. Quando a Rute me contactou e anunciou o tema "receitas (quase) sem culpa", achei que esta era a desculpa perfeita para, finalmente, passar esta deliciosa receita do papel para a forma. E como tinha as sementes da Fold para experimentar, foi só meter as mãos na massa e ver materializzar-se um lindo Bolo de Beterraba e Sementes.
Tenho a certeza que a Rute gostou da receita, pois ela, tal como eu, também é apreciadora de beterraba. 
Vejam aqui o guest post no Cozinha Fresh, bem como a entrevista que a Rute me fez.


(receita adaptada de Nigel Slater's Simple Suppers)

Ingredientes:
| 225 gr. de farinha c/ fermento
| 1/2 c. (chá) de bicarbonato de sódio
| 1 c. (chá) de fermento
| 1/2 c. (chá) de canela
| 180 ml. de óleo de girassol
| 225 gr. de açúcar mascavado
| 3 ovos
| 150 gr. de beterraba cozida
| sumo de 1/2 limão
| 75 gr. de tâmaras em pedaços
| 75 gr. de sementes 
(usei 25gr. de girassol + 25gr. de abóbora + 25gr. de Mix Omega da Fold (linhaça/cânhamo/chia)

| 8 c. (sopa) de açúcar em pó
| sumo de limão

Método Tradicional:
Pré aqueça o forno a 180ºC.
Peneire a farinha com o bicarbonato, o fermento e a canela e reserve.
Numa taça, bata o açúcar com o óleo e aos poucos, vá adicionando as gemas, uma a uma, batendo sempre. Reserve as claras
Rale a beterraba e adicione-a à mistura anterior, juntamente com o sumo de limão, as tâmaras em pedacinhos pequenos e a mistura de sementes. Bata até todos os ingredientes ficarem bem ligados.
Adicione a farinha, o bicarbonato, o fermento e a canela e bata a uma velocidade baixa, apenas para envolver.
Bata as claras em castelo e adicione-as à massa, envolvendo delicadamente com uma espátula.
Verta a massa numa forma forrada com papel vegetal e leve ao forno a cozer cerca de 50 a 55 minutos. Ao fim de 30 minutos, tape o bolo com uma folha de papel de alumínio para não queimar. Faça o teste do palito antes de remover do forno.
Retire e deixe arrefecer dentro da forma cerca de 20 minutos e só depois desenforme e deixe arrefecer completamente.

Para o glacé, vá adicionando gradualmente sumo de limão ao açúcar em pó, até atingir a consistência desejada. Decore o bolo a gosto com o glacé.

Método Thermomix - Bimby:
Pré aqueça o forno a 180ºC.
Coloque a borboleta no copo, adicione as claras e reserve as gemas. Programe (3min/vel3,5). Retire a borboleta e as claras e reserve. 
Peneire a farinha com o bicarbonato, o fermento e a canela e reserve.
No copo, coloque o óleo e o açúcar e bata (30seg/vel4). De seguida programe (1min/vel3) e pelo bocal da tampa adicione as gemas uma a uma.
Rale a beterraba e adicione-a à mistura anterior, juntamente com o sumo de limão, as tâmaras em pedacinhos pequenos e a mistura de sementes. Programe (10seg/vel4).
Adicione a farinha, o bicarbonato, o fermento e a canela e bata (10seg/vel4).
Adicine as claras e com a espátula envolva-as delicadamente na massa.
Verta a massa numa forma forrada com papel vegetal e leve ao forno a cozer cerca de 50 a 55 minutos. Ao fim de 30 minutos, tape o bolo com uma folha de papel de alumínio para não queimar. Faça o teste do palito antes de remover do forno.
Retire e deixe arrefecer dentro da forma cerca de 20 minutos e só depois desenforme e deixe arrefecer completamente.

Para o glacé, vá adicionando gradualmente sumo de limão ao açúcar em pó, até atingir a consistência desejada. Decore o bolo a gosto com o glacé.



 

Mini - Folares {Bunny Buns}


A Páscoa está mesmo aí! E com ela vêm os folares e os bolos tão característicos desta quadra especial. Cada região tem o seu folar, e sendo o nosso país tão rico e diversificado na gastronomia, cada um é melhor que o outro. A minha mãe fazia-os bem simples, com erva doce e algumas raspas de laranja ou limão para aromatizar. Eu gostava tanto de a ver e ajudá-la a amassar os folares num tabuleiro grande de madeira, o mesmo onde era amassado o pão. Depois, a massa ficava algumas horas a levedar enquanto se coziam os ovos num tacho com água e casca de cebola para que ganhassem cor. Metia-se a lenha no forno, deixando-a queimar até que ficasse bem quente. Por fim, eram moldados os folares, redondos, com um ou dois ovos cada. Iam a cozer e depois eram provados ainda quentes. Era assim a Páscoa lá em casa e eu deliciava-me com todo este processo.

Cá em casa também se fazem os folares, embora não seja em forno de lenha, mas também ficam deliciosos. O melhor que comi até hoje e que está no meu top de folares foi este. Mas este ano, e após ter visto uma imagem no Pinterest, decidi experimentar uma nova versão. Fiz uns mini folares, bem simples, aromatizados com erva doce e que ficaram (ou deveriam ter ficado) com o aspecto de coelhinhos da Páscoa. Ficaram deliciosos, com uma textura bem fofa e o melhor de tudo, é que são muito simples de fazer. Aqui fica a minha versão de mini folares.


 (receita adaptada daqui)

Ingredientes:
| 400 gr. de farinha s/ fermento
| 15 gr. de fermento fresco
| 120 ml de leite
| 2 ovos
| 65 gr. de açúcar
| 40 gr. de margarina vegetal
| 1 pitada de sal
| 1 c. (sopa) de erva doce (Margão)
| rolinhos de cacau (Vahiné)

Método Tradicional:
Num robot de cozinha, ou em alternativa com um almofariz, desfaça a erva doce e reserve.
Disponha a farinha numa taça e faça um buraco ao centro. Junte a manteiga em pedaços e comece a amassar com as mãos.
Dissolva o fermento no leite morno e aos poucos vá adicionando o leite à farinha. Junte o açúcar, uma pitada de sal e 1 ovo batido e amasse tudo muito bem até todos os ingredientes ficarem bem ligados e a massa ficar homagénea e despegar dos dedos. Se achar necessário, adicione um pouco mais de farinha.
Forme uma bola e deixe levedar cerca de 1h30min ou até que dobre de volume.
De seguida, reserve 1/4 da massa. Numa superficie enfarinhada, divida a restante massa em 5 partes iguais. Faça rolinhos com cerca de 30cmX2cm. Divida também o 1/4 de massa reservada em 5 partes e forme 5 pequenas bolas. 
Disponha cada um dos rolinhos em forma de U e na base coloque uma bola de massa. Enrole as pontas, dando duas voltas, ficando com o aspecto de orelhas de coelho.
Disponha os minifolares num tabuleiro forrado com papel vegetal e deixe levedar mais 1 hora.
Pré-aqueça o forno a 180ºC.
Pincele os mini folares com 1 ovo batido e decore a gosto com rolinhos de cacau. Leve ao forno cerca de 15-20 minutos.

Método Thermomix - Bimby:
Coloque a erva doce no copo e programe (5seg/vel9). Retire e reserve.
Coloque no copo o leite e o fermento e programe (1,5min/37ºC/vel1).
Junte a farinha, 1 ovo inteiro, o açúcar, a manteiga em pedaços e uma pitada de sal. Programe (2min/vel Espiga).
Retire, forme uma bola e deixe levedar cerca de 1h30min ou até que dobre de volume.
De seguida, reserve 1/4 da massa. Numa superficie enfarinhada, divida a restante massa em 5 partes iguais. Faça rolinhos com cerca de 30cmX2cm. Divida também o 1/4 de massa reservada em 5 partes e forme 5 pequenas bolas. 
Disponha cada um dos rolinhos em forma de U e na base coloque uma bola de massa. Enrole as pontas, dando duas voltas, ficando com o aspecto de orelhas de coelho.
Disponha os minifolares num tabuleiro forrado com papel vegetal e deixe levedar mais 1 hora.
Pré-aqueça o forno a 180ºC.
Pincele os mini folares com 1 ovo batido e decore a gosto com rolinhos de cacau. Leve ao forno cerca de 15-20 minutos.


Tarte de Espargos Selvagens


Gosto tanto de espargos. Mas gosto mesmo. Só tenho pena dos preços proibitivos a que são vendidos. É por isso que gosto desta altura do ano, quando começa a Primavera, os dias ficam mais quentes e os espargos selvagens começam a nascer desmesuradamente. E sabem tão bem, melhores ainda que os do supermercado, que muitas vezes são cultivados em estufas e vêm cheios de aditivos e pesticidas.
Estes, selvagens, são saudáveis e naturais e sabem muito melhor que os outros. Estes então souberam-me pela vida, poi foram-me oferecidos por um colega de trabalho, a quem agradeço.

As sugestões de receitas são muito variadas. Podemos confecionar uma Omelete, um Risotto ou esta deliciosa tarte, com uma base crocante e integral, fazendo desta uma refeição mais saudável. Isto porque o recheio também não é particularmente pecaminoso, sendo ele feito com iogurte natural e leite magro. Claro que pode ser adaptado ao gosto de cada um, sendo esta, apenas uma sugestão.




Ingredientes:
{para a massa}
| 100 gr. de farinha de trigo
| 100 gr. de farinha de trigo integral
| 70 gr. de margarina vegetal
| 1 pitada de sal
| 1 ovo 
| 0,5 dl. de água

{para o recheio}
| 1 molho de espargos selvagens
| 1 fio de azeite
| 1 noz de manteiga
| 1 dente de alho
| 1 cebola pequena
| pimenta q.b.
| sal q.b.
| noz moscada q.b.
| 2 ovos
| 1 iogurte natural
| 1 dl de leite magro

Método Tradicional:
Limpe e lave os espargos. Leve um tacho ao lume com água e quando ferver, junte os espargos, deixando cozinhar durante dois minutos. Escorra os espargos e reserve.

Pré aqueça o forno a 180ºC.
Comece por preparar a massa, misturando as duas farinhas numa taça. 
Adicione a margarina e vá amassando com os dedos até ligar a margarina e as farinhas. 
Faça um buraco ao centro e adicione o sal, o ovo ligeiramente batido e a água. Amasse tudo muito bem com as mãos durante alguns minutos. Se achar necessário, acrescente mais água ou mais farinha e amasse até a massa despegar dos dedos e ficar moldável.
Forme uma bola e numa superfície enfarinhada estenda a massa com o rolo, dando-lhe o formato da tarteira. Coloque a massa na tarteira anti-aderente e corte o excesso nos bordos. Pique o fundo com um garfo. Leve ao forno durante 10 minutos.
 
Enquanto isso, prepare o recheio. Coloque uma frigideira ao lume com um fio de azeite e uma noz de manteiga. Adicione a cebola e o alho picados finamente e deixe refogar um pouco. Desligue o lume e reserve.
Numa taça, bata os ovos e o iogurte natural. Adicione o leite e continue a bater. Tempere com sal, pimenta e noz moscada a gosto.
Retire a massa do forno e espalhe sobre ela a cebola refogada. Disponha sobre a cebola os espargos pré cozidos e verta sobre estes o ovo batido com o iogurte.
Leve novamente ao forno cerca de 25 minutos, ou até que comece a ficar dourado.

Método Thermomix - Bimby:
Limpe e lave os espargos e coloque-os na Varoma. Coloque 800gr. de água no copo, tape, coloque a Varoma e programe (15min/Temp.Varoma/vel1). Retire e reserve.

Pré aqueça o forno a 180ºC.
No copo coloque as duas farinhas, a margarina em pedaços, o sal, o ovo e a água. Programe (2min/vel Espiga).
Retire, forme uma bola e numa superfície enfarinhada estenda a massa com o rolo, dando-lhe o formato da tarteira. Coloque a massa na tarteira anti-aderente e corte o excesso nos bordos. Pique o fundo com um garfo. Leve ao forno durante 10 minutos.
 
Enquanto isso, prepare o recheio. Coloque a cebola e os dentes de alho no copo e programe (3seg/vel5). Adicione o azeite e a manteiga e programe (3min/Temp.Varoma/ vel1). Retire e reserve.
Sem lavar o copo, coloque os ovos, o iogurte natural e o leite. Tempere com sal, pimenta e noz moscada a gosto. Programe (30 seg/vel4).
Retire a massa do forno e espalhe sobre ela a cebola refogada. Disponha sobre a cebola os espargos pré cozidos e verta sobre estes o ovo batido com o iogurte.
Leve novamente ao forno cerca de 25 minutos, ou até que comece a ficar dourado.
 
 


Margão - Tendências de Sabores 2014

À cerca de 1 mês atrás, a convite da Margão, tive o privilégio de assistir a um workshop de culinária liderado pela simpática e talentosa chef Justa Nobre. O objectivo deste deste workshop era apresentar e dar a conhecer as Tendências de Sabores Margão 2014. O evento decorreu num ambiente muito descontraído, no espaço Feed Me, em Lisboa e contou ainda com a presença das simpáticas bloggers Isabel Zibaia Rafael do Cinco Quartos de Laranja, a Olivia do Alquimia dos Tachos, a Lucia d'O Barriguinhas, a Dulce do Cozinha da Duxa, a Manuela do Tertúlia de Sabores, a Marisa do Sweet My Kitchen e ainda a Ana do A Marmita Lisboeta.
Viveram-se ali momentos felizes, com partilhas de histórias e sabores, sempre com muita boa disposição à mistura. Após a simpática equipa da Margão nos ter dado a conhecer as Tendências de Sabores, chegou o momento de meter o avental, colocar as panelas ao lume e deixarmo-nos levar pela energia contagiante da chef Justa, que com a nossa ajuda confecionou um almoço divinal.


A Margão dispensa apresentações, já todos a conhecem ou pelo menos ouviram falar e ninguém tem dúvidas da sua liderança no mercado, no que diz respeito ao mundo das especiarias e das ervas aromáticas. Tem como missão partilhar a paixão pelo sabor, fornecendo ingredientes de elevada qualidade, fazendo chegar ao consumidor final uma vasta oferta de sabores vinda dos quatro cantos do mundo.


Para além das novas Tendências de Sabores, foi-nos ainda dada a conhecer a campanha lançada por ocasião dos 125 anos da McCormick, a casa fundadora da Margão. Esta campanha consiste em partilhar uma história, sob a forma de um texto, uma imagem, uma receita, enfim o que quisermos, podendo qualquer pessoa participar. Por cada história partilhada será doado 1 dólar a uma instituição que no caso de Portugal será o Banco Alimentar. Vamos todos participar nesta campanha?! Não custa nada, apenas têm de partilhar a vossa história, relacionada com o mundo dos sabores, entrando neste link: www.margao.pt  Uma vez aberta a página, cliquem no canto superior direito, onde diz "Partilhe a sua história".
Eu já partilhei a minha história, uma história que me leva a viajar até à infância. Ora vejam:


"Sou do tempo em que os padeiros iam a casa das pessoas, entregar o pão. De manhã cedo, todos os dias era ouvida na aldeia, a buzina trepidante e apressada da carrinha do pão, que percorria minuciosamente todas as casas. Mas comprar pão era um luxo que nem sempre era possível concretizar. Pelo que a maioria das vezes o pão e a broa eram feitos em casa, pela minha mãe, no forno a lenha. E era esse o pão que eu gostava, o que me dava prazer saborear com manteiga, acabado de sair do forno. É desses sabores e cheiros, do pão quente, acabado de cozer, que horas antes fora amassado à mão, com amor e determinação e deixado depois a levedar, sem pressas, que eu tenho saudades e que me faz lembrar da minha infância."



Neste evento, a chef Justa Nobre presenteou-nos com quatro deliciosas receitas, todas elas de fazer crescer água na boca e cada uma melhor que a outra. Para petiscar fomos brindados com umas Bolinhas de Carne com Crocante de Pão e Amêndoa. Mas o melhor veio a seguir, uma deliciosa Sopa de Lagosta com Gengibre e Piripiri e como prato principal umas Bochechas de Porco Confitadas com Puré de Castanhas. Terminámos de forma sublime com uma sobremesa de bradar aos céus, um Doce Carmim com Especiarias.


(Algumas das imagens foram fotografadas por Mario Cerdeira e gentilmente cedidas pela Margão)

O 1º Aniversário do Blog |♣♣| Lemon & Poppy Seed Meringue Layer Cake |♣♣| Bolo Merengado {em camadas} de Limão & Sementes de Papoila


Um ano passou desde que tornei público este blog. Um ano, 365 dias depois, 9000 seguidores na página do Facebook, quase 150 000 visualizações de páginas no blog, 160 posts publicados, 370 seguidores no blog e muita, muita força para continuar e tornar este projecto ainda melhor! E se há um ano atrás me dissessem que hoje estaria aqui a escrever este post, depois de tanta coisa boa ter acontecido, eu não acreditaria. Estava longe de imaginar onde o blog me poderia levar.
Isto da blogosfera não era novidade para mim, já seguia alguns blogs, que ainda hoje admiro muito e tinha o meu próprio blog, um blog pessoal que com o passar dos anos foi ficando difícil de alimentar, ou porque não havia assunto para escrever, ou porque o cansaço não permitia ou porque simplesmente não apetecia. Sim, porque isto de ter um blog não é coisa fácil, exige muito tempo, muita dedicação, amor ao que se faz.

Precisava de fazer algo que realmente gostasse, algo com o qual me identificasse, e foi quando decidi criar o meu "caderno de receitas" ainda sem o tornar público. Algumas das primeiras receitas que aqui publiquei, eram publicadas também no meu blog pessoal e foi quando eu verifiquei que algumas pessoas se mostravam interessadas nessas receitas e iam lá comentar. Então pensei "porque não fazer o meu próprio blog de culinária"? E assim no dia 1 de Abril, nasceu publicamente o Sweet Gula.

O meu gosto pela fotografia, aliado à paixão em cozinhar foram aguçando a minha curiosidade e aos poucos o blog foi crescendo, muitas pessoas se foram juntando e gostando do que por aqui se partilha e ao mesmo tempo, também cresci e muito como ser humano, aprendi bastante, conheci novos pratos, novos ingredientes, novos métodos de confecção de alimentos e o melhor de tudo, vim a conhecer algumas pessoas cujo trabalho admiro muito e que, tal como eu, também partilham da mesma paixão, o prazer de cozinhar. 

Estava longe de imaginar que um dia ia poder estar ao lado do chef Chakall, ou ao lado do chef Vitor Sobral, do chef Luís Machado, ou da chef Justa Nobre. Estava longe de imaginar que iria participar no maior Workshop de Cozinha do Mundo, ou que viria a frequentar alguns cursos de cozinha na Academia Vaqueiro, onde conheci o chef Pedro Niny Duarte. Que viria a conhecer pessoalmente algumas caras por detrás de outros blogs que eu tanto gosto e que já seguia à tanto tempo e que mais tarde viria ainda a conhecer outros blogs e respectivos autores.
Tornei-me parceiro de algumas marcas conceituadas com quem tenho imenso prazer em trabalhar e participei em tantos desafios. Integrei no grupo Dia 1... Na Cozinha, no qual, orgulhosamente publico uma receita todos os meses.
Tenho recebido mais do que estava à espera e tudo isso graças a todos vocês, os que comentam, visitam, partilham, aqui, na página no Facebook, no Instagram, ou no Pinterest, sem vocês, nada disto era possível.


O maior agradecimento, esse vai para a minha esposa, que está sempre ao meu lado e me apoia nesta aventura. Que, a custo, lá vai vendo as louças e outros acessórios de cozinha amontoarem-se por entre prateleiras e armários, peças soltas e desirmanadas. Que também abdica de algum tempo para que eu me possa dedicar ao blog e fazê-lo crescer.
E olhando para trás, fica um ano de coisas boas, de algumas amizades criadas, de conhecimentos, de muitas partilhas e muitas horas na cozinha. O que afinal é muito bom, pois é uma paixão.

Mas o post já vai longo e como se aperceberam eu trago uma receita para assinalar este 1º ano de blog. Inicialmente pensei em fazer um Naked Cake de frutos vermelhos, gosto deste género de bolos e adoro frutos vermelhos. Mas mais uma vez o senhor Jamie (sim, outra vez o Jamie!) trocou-me as voltas e levou-me antes a fazer este Lemon & Poppy Seed Meringue Layer Cake. O bolo faz parte da capa da Jamie Magazine #47 e assim que recebi a revista no correio, eu soube imediatamente que tinha de fazer este bolo. E esta foi a ocasião perfeita! O sabor do bolo é divinal, a frescura ácida do limão contrasta na perfeição com o crocante do merengue e das sementes de papoila num bolo fofo e decadente.
Não fiz a receita original, reduzi a quantidade dos ingredientes, pois usei uma forma mais pequena e reduzi na quantidade de manteiga e açúcar. Mas o resultado final, esse é bastante compensador e fica um bolo divino, óptimo para celebrar uma ocasião especial.

Ainda em modo de celebração, quem segue a página já se apercebeu que estão a decorrer 3 Giveaway's Especial Aniversário, em que já foi sorteada uma tábua de cozinha da Gradirripas, está actualmente a decorrer o Giveaway onde se podem habilitar a ganhar uma forma da Metalúrgica e para a semana haverá um último Giveaway que ainda é surpresa. Aproveitem e participem!


(receita adaptada da revista Jamie Magazine, Issue #47, March/April 2014)

Ingredientes:
| 3 claras de ovo + 6 ovos inteiros
| 350 gr. de açúcar (RAR)
| 250 gr. de manteiga
| 250 gr. de farinha com fermento
| 1 c. (chá) de fermento
| 40 gr. de sementes de papoila
| raspa e sumo de 2 limões
| 100 gr. de açúcar em pó
| 200 ml de natas
| 150 gr. de Lemon Curd (usei esta receita da Susana Gomes)

Método Tradicional:
Pré aqueça o forno a 140ºC.
Numa folha de papel vegetal, desenhe 2 círculos com 20 cm de diâmetro.
Comece por preparar o merengue, batendo as claras de ovo em castelo. Quando começarem a ficar firmes, adicione aos poucos 150 gr. de açúcar e continue a bater, até obter um merengue cremoso e brilhante.
Com uma espátula, divida o merengue pelos dois círculos desenhados. Num dos círculos, alise com a parte de trás de uma colher. No outro círculo,crie alguma textura, formando picos. Este será a última camada do bolo.
Leve ao forno a cozer durante 1 hora. Quando terminar, deixe arrefecer totalmente dentro do forno, deixando a porta entreaberta (use uma colher de pau).

Entretanto prepare o bolo. Pré aqueça o forno a 170ºC.
Bata o restante açúcar (250 gr.) juntamente com a manteiga até obter um creme fofo e esbranquiçado. Sem deixar de bater, adicione os ovos, um de cada vez.
Peneire a farinha, juntamente com o fermento e junte à massa, envolvendo bem, para que todos os ingredientes fiquem bem ligados.
Adicione as sementes de papoila, a raspa de 2 limões e o sumo de 1 limão e envolva muito bem.
Verta a massa numa forma de aro amovível com 20cm de diâmetro, previamente untada de manteiga e polvilhada com farinha.
Leve ao forno a cozer durante 50 minutos. Antes de retirar, faça o teste do palito.
Desenforme e deixe arrefecer um pouco.

Corte o bolo em duas metades, no sentido longitudinal.
Misture o açúcar em pó com o sumo de 1 limão, obtendo um xarope e verta sobre as duas metades do bolo. Deixe arrefecer por completo.

De seguida monte o bolo. Bata as natas até ficarem bem firmes, formando picos. (Opcionalmente, poderá adicinar 2 c. (sopa) de açúcar.)
Coloque uma metade do bolo num prato de servir, e por cima espalhe 1/3 das natas. Adicione 2 ou 3 c. (sopa) de Lemon Curd e espalhe uniformemente. Coloque por cima o primeiro círculo de merengue. Espalhe mais 1/3 das natas por cima do merengue e volte a adicionar Lemon Curd.
Sobreponha a segunda metade do bolo, de seguida as restantes natas e o Lemon Curd. Termine com o segundo círculo de merengue.

Método Thermomix - Bimby:
Pré aqueça o forno a 140ºC.
Numa folha de papel vegetal, desenhe 2 círculos com 20 cm de diâmetro.
Comece por preparar o merengue, colocando a borboleta no copo limpo e seco, junte as claras e programe (3min/vel3,5). No último minuto, adicione aos poucos o açúcar pelo bocal da tampa.
Com uma espátula, divida o merengue pelos dois círculos desenhados. Num dos círculos, alise com a parte de trás de uma colher. No outro círculo,crie alguma textura, formando picos. Este será a última camada do bolo.
Leve ao forno a cozer durante 1 hora. Quando terminar, deixe arrefecer totalmente dentro do forno, deixando a porta entreaberta (use uma colher de pau).

Entretanto prepare o bolo. Pré aqueça o forno a 170ºC.
Coloque no copo o restante açúcar (250 gr.) e a manteiga em pedaços e programe (2min/37ºC/vel2).
De seguida programe (1min/vel3) e adicione os ovos, um de cada vez.
Peneire a farinha, juntamente com o fermento para dentro do copo e envolva (10seg/vel6).
Adicione as sementes de papoila, a raspa de 2 limões e o sumo de 1 limão e programe (30seg/vel4).
Verta a massa numa forma de aro amovível com 20cm de diâmetro, previamente untada de manteiga e polvilhada com farinha.
Leve ao forno a cozer durante 50 minutos. Antes de retirar, faça o teste do palito.
Desenforme e deixe arrefecer um pouco.

Corte o bolo em duas metades, no sentido longitudinal.
Misture o açúcar em pó com o sumo de 1 limão, obtendo um xarope e verta sobre as duas metades do bolo. Deixe arrefecer por completo.

De seguida monte o bolo. No copo bem limpo e seco coloque a borboleta, junte as natas, que devem estar bem frias e sem colocar o copo de medida programe (1min/vel3,5). Se achar necessário, programe mais alguns segundos na mesma velocidade, tendo atenção para que as natas não passem a manteiga. (Opcionalmente, poderá adicinar 2 c. (sopa) de açúcar.)
Coloque uma metade do bolo num prato de servir, e por cima espalhe 1/3 das natas. Adicione 2 ou 3 c. (sopa) de Lemon Curd e espalhe uniformemente. Coloque por cima o primeiro círculo de merengue. Espalhe mais 1/3 das natas por cima do merengue e volte a adicionar Lemon Curd.
Sobreponha a segunda metade do bolo, de seguida as restantes natas e o Lemon Curd. Termine com o segundo círculo de merengue.



Pampilhos

 
Precisamente há um ano atrás, tornava eu público este blog e criava a respectiva página, Sweet Gula, no Facebook. Parece mentira, mas passaram 365 dias de muitas partilhas e bons momentos na cozinha e não só. Estamos, por isso de Parabéns, mas vou deixar a comemoração para um próximo post.

Porque hoje é dia 1, dia das mentiras, mas também dia de desafio no grupo "Dia Um... Na Cozinha!". E como tal eu não podia deixar de participar, ainda mais nesta 11ª edição que tinha como tema a Doçaria Regional. Sendo eu guloso por natureza e preferindo cozinhar doces em vez de pratos salgados, este é um desafio no qual  me deu gozo participar.

Não se trata de um tema fácil, uma vez que o nosso país é riquíssimo em doçaria regional e cada região compete pelo melhor doce. Eu adoro doces regionais, tenho os meus preferidos, mas cada um é especial à sua maneira. Poderia ter escolhido qualquer um ao acaso, existem tantos, mas as receitas não estão ao alcance de todos e nem todos são fáceis de fazer.
Então a minha decisão recaíu num doce que é muito apreciado cá em casa e típico da região onde resido. É característico da região do Ribatejo, mais precisamente da cidade de Santarém. Trata-se do Pampilho, um doce tradicional, cujo recheio é feito com doce de ovos e canela. A sua forma caracteriza-se por ser alongada e foi criado em homenagem aos campinos, uma vez que o seu nome e forma se relacionam à vara comprida que estes usavam para conduzir o gado no campo.
A receita aqui usada é do livro "De Santarém a Évora - Receitas Bimby", é de fácil execução, mas exige tempo e paciência. Aliás, como qualquer outro doce regional, mas aconselho a experimentarem, pois o delicioso resultado compensa bastante. Vamos à receita!


(receita do livro "De Santarém a Évora - Receitas Bimby")

Ingredientes:
{para os Ovos Moles}
| 70gr. de água
| 130gr. de açúcar
| 6 gemas de ovo

{para a Massa}
| 130 gr. de açúcar
| 130 gr. de manteiga à temp. ambiente
| 1 ovo
| 300gr. de farinha tipo 65
| canela q.b. para polvilhar
| 1 gema de ovo para pincelar

Método Tradicional:
Prepare os ovos moles, colocando num tacho a água e o açúcar e leve ao lume, até atingir o ponto de pasta (até começar a ferver). Deixe arrefecer um pouco.
Corte as gemas com uma faca e passe por um passador de rede fina. Deite um pouco da calda sobre as gemas e misture bem.
Verta as gemas na restante calda e leve ao lume a engrossar, mexendo sempre. Retire do lume e deixe arrefecer.

Pré aqueça o forno a 250ºC.
Bata o açúcar, juntamente com a manteiga amolecida e os ovos.
Junte a farinha e bata energicamente, até todos os ingrediente ficarem bem ligados. Deixe a massa descansar cerca de 30 minutos.
Numa superfície polvilhada com farinha, estenda a massa com a ajuda de um rolo enfarinhado deixando uma espessura de aprox. 4mm. Corte com a ajuda de uma faca rectângulos de 15X10cm, numa das metades distribua uma porção de ovos moles, polvilhe com canela e cubra com a outra metade obtendo assim rectângulos de 15X5cm.
Coloque os rectângulos num tabuleiro forrado com papel vegetal. Pincele com gema de ovo e leve ao forno a 250ºC cerca de 5 minutos. De seguida grelhe cerca de 3 minutos, até ficar tostada a zona da gema.

Método Thermomix - Bimby:
Coloque no copo a água e o açúcar e programe (20min/Var/vel1). Retire o copo da base para que arrefeça mais depressa e deixe a calda arrefecer até aos 60ºC, cerca de 30 minutos.
Corte as gemas com uma faca e passe por um passador de rede fina. Deite um pouco da calda sobre as gemas e misture bem.
Insira a borboleta. De seguida programe (12min/100ºC/vel1) e adicione as gemas em fio através do bocal da tampa. Retire e deixe arrefecer cerca de 3horas ou até ganhar consistência.

Pré aqueça o forno a 250ºC.
No copo limpo coloque o açúcar, a manteiga e o ovo e bata (4min/vel4).
Adicione a farinha e misture (15seg/vel6). Deixe descansar cerca de 30 minutos.
Numa superfície polvilhada com farinha, estenda a massa com a ajuda de um rolo enfarinhado deixando uma espessura de aprox. 4mm. Corte com a ajuda de uma faca rectângulos de 15X10cm, numa das metades distribua uma porção de ovos moles, polvilhe com canela e cubra com a outra metade obtendo assim rectângulos de 15X5cm.
Coloque os rectângulos num tabuleiro forrado com papel vegetal. Pincele com gema de ovo e leve ao forno a 250ºC cerca de 5 minutos. De seguida grelhe cerca de 3 minutos, até ficar tostada a zona da gema.